sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

JÁ ESTÁ TUDO FEITO E AINDA POR FAZER por Caio Fábio


Não é coincidência que a palavra gritada por Jesus na Cruz, “Tetelestai”, ou “Está Consumado”, seja aquela que dá raiz à palavra grega usada por Paulo, “Telios”, quando afirmou que o “poder se ‘aperfeiçoa’—telios—na fraqueza”.

As fraquezas são a “cruz” que Paulo diz que precisam ser “completadas” em nós. Ele chega a dizer que tem “comunhão com os sofrimentos de Cristo”; e ainda que “completava em sua carne o que restava dos sofrimentos de Cristo”—; ambas as afirmações aparentemente extremamente contraditórias na boca de um homem que afirmava que morrera com Cristo, e que, Nele, não somente ressuscitara, mas também estava assentado nos lugares celestiais.

Assim, o apostolo que recomenda descanso na fé e que afirma que a justiça de Deus já é toda nossa em Jesus, também abre os espaço contraditório para afirmar que há uma “comunhão” e que há um “completar” dos sofrimentos de Cristo em nós.

Mas, como é isso?

A questão é que estamos diante de duas dimensões, uma ligada à “salvação e às últimas coisas”; e uma outra relacionada à existencialidade humana. Assim, quando Paulo diz que “já está tudo feito” em Cristo, ele fala das coisas pertinentes ao ser eterno em nós. No entanto, quando ele fala da necessidade de se “completar” ou ter “comunhão” com os sofrimentos de Cristo, ele apenas se refere ao progresso do ser nesta dimensão; na qual, nada se completa sem dor e sem cruz.

Portanto, assim como na Cruz está tudo feito por e para nós diante de Deus, assim também, na experiência da fraqueza, nós entramos num processo de completação existencial dos benefícios da Cruz em nós; assim como também, desvestidos de qualquer justiça-própria ou arrogância, abrimos em nós mesmos o espaço para que o poder de Deus se expanda no vazio de auto-confiança e arrogância de nosso ser; situação existencial essa na qual a energia divina flui de modo muito mais límpido através de nós, pois, não tem em nossa auto-imagem narcisística o impedimento maior à sua manifestação.

Assim, sou completo em Cristo a fim de poder ficar completo na experiência existencial de hoje; e na qual a fraqueza é o instrumento da completação (telios) da Graça e do Poder de Deus em nós.

No entanto, só é assim porque Já está Pago (tetelestai) na Cruz. Do contrário, com que categorias, em que mundo, e sob que Lei, a fraqueza seria justamente a mídia do poder de Deus?

Somente Naquele da Cruz é que o Poder vem da fraqueza. E é de tal fraqueza que vem o poder da ressurreição de entre os mortos, o qual opera o bem da Vida em nós, e, por Sua Graça, também por nossas mãos.


Nele,

Caio

Nenhum comentário:

Postar um comentário